Orlando com a família: partiu diversão!

Tudo o que você precisa saber antes de levantar voo para a terra do Mickey!

Se há um lugar que mexe com a nossa imaginação e nos leva de volta para o maravilhoso mundo dos príncipes e princesas, esse lugar é Orlando! Ver meus filhos encantados com os personagens “de verdade” diante de seus olhos dos seus filmes favoritos é a maior prova de que tudo vale a pena. Nesta série de posts, vou contar um pouco de como foi nossa última viagem a Orlando com a família, nossos roteiros, aventuras e passeios inesquecíveis. A seguir, tudo o que você precisa saber antes de ir para Orlando!

Antes de viajar para Orlando

Não é preciso pesquisar muito para notar que Orlando é uma das cidades voltadas para crianças mais famosas e visitadas do mundo. Lá, se concentram os melhores parques temáticos e tudo, absolutamente tudo, tem boa infraestrutura para recebê-los bem. Não é à toa que esta é uma das cidades dos EUA que mais recebe turistas todos os anos.

Assim, defini-la como um destino encantador e que é a paixão de 99% das crianças ainda seria muito pouco. A cidade é muito mais do que isso, e consegue concentrar a maior quantidade de sorriso e felicidade de crianças (e adultos!) por metro quadrado.

Uma viagem para Orlando pode durar de cinco até quantos dias você quiser, de acordo com o valor que couber no seu orçamento. Acredito que menos que isso pode ficar muito cansativo. O ideal é sempre fazer um cronograma com a programação diária.

É claro que podem surgir imprevistos como tempo e cansaço, mas é sempre melhor verificar os horários de abertura e fechamento dos parques. Até mesmo porque em cada época do ano pode haver variação de programação e horário. Uma coisa que fiz que me ajudou muito foi estudar por vários dias o lugar. Dessa vez que fomos, era julho –  ou seja, era o auge das férias dos brasileiros e americanos e de muitos lugares no mundo, onde tudo se mistura. 

Por isso, em cada parque que estávamos programados para ir, tentei fazer uma seleção dos brinquedos mais interessantes para a idade deles. Parece simples, mas foi um desafio conciliar todos os interesses já que a diferença de idade entre meus filhos é de quase 6 anos.

DICA DA MÃE VIAJANTE:

Não marque nenhum parque para o primeiro dia. Mesmo pegando voo direto, chegamos muito cansados. Segure a ansiedade das crianças, descanse e deixe para começar a maratona no dia seguinte. E, se você tiver tempo, recomendo uma pausa de um parque para outro alternando com compras, shoppings ou restaurantes. Believe me: parque todos os dias + filas + atrações é cansativo ao extremo. A batida pode ficar tão exaustiva que as melhores atrações podem nem ser curtidas!

Tem mais duas outras coisas que me programei antes de ir:

  1. Pedi para fazer uma pulseira com todos os dados dos meninos: nome e telefone do hotel, celular, idade e até número de passaporte. Claro que não esperamos que o pior aconteça, mas nunca se sabe!
  2. Nos primeiros dias, fiquei mais relaxada deixando os meninos comerem as junk foods à vontade. Mas no terceiro dia, já estava pedindo arrego ao Whole Foods Market, uma rede de produtos saudáveis onde fiz várias compras. Depois disso, passei a andar com uma mochila carregada de coisas para eles comerem ao longo do dia. O problema foi que com o calor nem a bolsa térmica dava conta de tanto calor. Nessas horas, as nuts salvaram e alguns biscoitos mais saudáveis também. Outra aliada fundamental nessa aventura foi a água: sempre tenha uma ou mais garrafas na mão para não ter que ficar parando ou se deparando com filas. Obs: Nos parques, a alimentação tende a ser mais cara, e é difícil achar algo mais healthy que uma Caesar Salad (que dependendo da quantidade de molho deixa de ser saudável!). Mas como a ideia é relaxar ao máximo, não vale a pena esquentar com isso que é mais uma frescura minha.

Fastpass e Magicband: como funcionam

Antes de falar de cada parque nos próximos posts, vamos falar dos famosos Fastpass e Magicband.

  • Fastpass: É o método de fila rápida da Disney. É preciso fazer um agendamento prévio através do Disney Experience ou através do site e/ou aplicativo da Disney onde se pode escolher as atrações e os horários. De cara, você tem direito a agendar três brinquedos. Porém, depois do último, dá para agendar mais um, e depois de ter ido nesse, você “desbloqueia” mais um, e assim sucessivamente. Ou seja, a partir do terceiro, só funciona agendando um de cada vez. Através do My Disney Experience, você consegue agendar novos horários e mexer nos que já existem.
  • Magicband: Pulseira que, para quem fica hospedado nos hotéis da Disney, é uma ótima opção. Ela contém todas as informações pessoais que ajudam a transitar pelo parque, como chave do quarto, ingressos, além de vincular o cartão de crédito fornecido para compras e gastos como restaurantes, compras etc. Está tudo dentro de uma única pulseira, e você pode encontrar a pulseira para compra em vários lugares espalhados pelo parque e nos hotéis.

Obs: Adorei o serviço do Caio Giardini e recomendo de olhos fechados. Ele sabe tudo de Orlando sobre qualquer parque. Pegamos a assessoria dele na Disney, e ele nos levou para conhecer o parque utilizando nossos Fast Pass e os convites que ele tem em meio período em pleno julho!

Quando ir a Orlando

Nos meses de junho, julho e dezembro, as filas ficam enormes já que brasileiros, americanos e europeus estão de férias. Mas é difícil falar uma data certa como a mais indicada! 

Me arriscaria a dizer que do final de abril e maio, e de setembro a novembro (tirando o Fall Break e Thanksgiving), as temperaturas são mais amenas e os parques costumam estar mais vazios.

Em datas festivas como Thanksgiving, Páscoa, Natal, Réveillon e Spring break, os parques ficam bem cheios e os preços dos hotéis ficam mais caros, o que torna tudo mais cansativo. A partir da segunda quinzena de dezembro até a primeira quinzena de janeiro, também há um pico de lotação.

Orlando é conhecido pelo calor quase o ano todo, mas no inverno faz um pouquinho de frio. Em janeiro, a média da temperatura é de 15 graus. Muitas vezes, nesta temperatura os parques aquáticos não estão abertos. Por outro lado, no inverno é a estação que menos chove.

De qualquer forma, se me perguntassem bem objetivamente eu diria que a melhor época é entre o final de abril e o início de maio pelas temperaturas amenas, poucas filas, sem possibilidade de ter furacão.

Cheio, vazio, faça chuva ou faça sol, uma coisa é garantida: a diversão! Agora, confira nosso post sobre onde se hospedar e fazer compras em Orlando!



Comentários