Busch Gardens & Lego Land

Os parques da Flórida fora de Orlando que fizeram a cabeça dos meus meninos!

Chegou a hora de falar de adrenalina! Em matéria de emoção, o eletrizante Busch Gardens se destaca, trazendo as montanhas russas mais insanas e atrações pra lá de radicais capazes de deixar todo mundo literalmente de cabelo em pé!

E o que falar da inacreditável Lego Land, com esculturas de Lego por todo canto? Não só as crianças como também os adultos vão à loucura com tanta coisa bacana. Esses dois parques estão fora de Orlando, e é por isso que escolhi falar deles dois juntos. Assim, você poderá saber como encaixá-los direitinho no seu roteiro de diversão pela Flórida.

Busch Gardens

ando&utm_term=parque&utm_content=diversao”>Busch Gardens é um dos parques que eu mais gosto, já que as atrações são bem radicais. Ele está em Tampa, a 1 hora de Orlando, e tem um conceito de zoológico + parque de diversões. Mas para as crianças aproveitarem todas as atividades, precisam ter a altura suficiente para andar dos brinquedos. Quem não tiver altura suficiente para ir nos brinquedos, pode focar no zoológico, como foi o nosso caso com nossos pequenos.

Para quem não quiser ir dirigindo até lá, existe um ônibus que sai de lugares como o SeaWorld, Universal, Kissimee e alguns outros. O horário de saída é por volta das 10h, e na hora de voltar também só existe 1 horário. É uma opção, mas que pode te deixar mais restrito e limitado.

Esse parque foi o pioneiro nesse estilo: as áreas são representadas por animais da África e da Ásia, assim as crianças conseguiram ver macacos, girafas, leões, tigres brancos, girafas… Pegamos o Serengeti Railway, um trenzinho que passa pelas partes do parque onde estão todos esses bichos.

Já o Serengeti Safari, um mini safári feito em um caminhão, é pago à parte. No final, é ainda mais bacana, pois alimentamos as girafas! É um programa só para crianças acima de 5 anos, e por isso o João não pôde ir. 

É um parque bem grande, por isso é preciso se programar para não se tornar cansativo. O nosso caso considero uma exceção: como nossas crianças não entravam em muita coisa, não seguimos um roteiro entre as áreas e focamos apenas nas atrações que eles podiam ir em cada área.

Como todo parque de diversão que se preze, algum brinquedo que molha precisa ter para dar aquela sensação de se molhar, ainda mais no verão! O Congo River Rapids e o Stanley Falls que fazem a alegria da garotada nesse quesito.

Se você pretende ir a todas as atrações, vale ressaltar que o parque também tem seu esquema de fila rápida, o Quick Queue, que pode ser comprado assim como o Express.


Meus meninos conseguiram ir na Cheetah Hunt, já que a altura mínima era de 1, 22m. Ela é rápida e bem longa, porém é mais leve em emoção se comparada às demais. Na Cobra’s Course, que fica na área do Egito, a altura mínima é de 1,07m; no Sand Serpent em Tibuktu, e na Scorpion elas também conseguiram ir, já que a altura mínima era entre 1,06m e 1,17m.

Já as atrações mais radicais como Montu, Kumba, Sheikra e o Falcon’s Fury, que é a pior que montanha russa de todas, ainda falta um pouquinho para eles: a altura mínima da maioria desses é de 1,37m.

Almoçamos com Elmo and Friends no restaurante deles, mas o menu era bem simplezinho.

Para os menorezinhos, além do zoológico, existe a Sesame Street Safari For Fun, que tem mini montanha russa, playground e os jatos que esguicham água no meio dos personagens da Vila Sésamo.

Existe também uma área do parque onde cangurus podem ser vistos e alimentados. O parque ainda tem shows. Estávamos passando em frente ao teatro na hora do show chamado Iceploration, de patinação do gelo, que conta as aventuras de um avô com seu neto. Foi bem legal.

Legoland

and.jpg” alt=”” width=”1280″ height=”640″ />

O and.com/?utm_source=blog&utm_medium=hyperlink&utm_campaign=orlando&utm_term=parque&utm_content=diversao”>Legoland também fica a 1 hora de Orlando e tem o foco em crianças de 2 a 12 anos. Pode ser acessado de carro ou com o ônibus que sai da Orlando Eye. Partindo de outros parques, há apenas 1 horário de partida que é às 9h, e a volta acontece quando o parque fecha.

Mas acredito que as crianças a partir de 9 anos podem se entediar um pouco se forem ficar tanto tempo. Assim, se você tem filho bem pequeno e pelo menos 1 semana em Orlando, recomendo acrescentar esse parque no seu roteiro!

Obviamente, o que mais tem lá são as esculturas em Lego. De que? De tudo o que você pode imaginar, como animais, cidades, crianças revestidas de lego etc. O parque não é pequeno, por isso tivemos que focar no que realmente queríamos ver. Até porque na Legoland não tem o esquema de Fastpass, apenas um Tour Vip Service que é caro e acredito que não vale a pena.

DICA DA MÃE VIAJANTE:

Se realmente for no Legoland, encaixe nos primeiros dias. Digo isso porque ele não tem a mesma organização dos demais parques, nem tantos funcionários nas atrações para orientar. Isso faz com que, muitas vezes, as filas demorem mais. Se deixar esse parque por último, você vai sentir isso e pode não gostar de lá, quando na verdade é super interessante – principalmente para os mais novos!

Logo no início, fomos no Island in the Sky, onde conseguimos ver a cidade toda. De lá,fomos ao Wells Fargo Fun Town 4D Theather para assistir a um dos filmes que estava passando.

A Miniland é tão perfeita que realmente sentimos estar em uma das cidades americanas representadas pelo Lego.

Os menores não podem deixar de ir no Grande Carrossel e na área do Duplo Valley, onde está a maioria dos brinquedos como o Duplo Train, Duplo Farm, Duplo Tractor, Duplo Splash & Play.

O Lego Kingdom também não fica de fora e tem bastante coisa para ele, como o The Forest Man’s Hideout, um playground enorme com escorregas, pontes e tapetes que João amou.

O Royal Just com seus cavalinhos e o Merlin’s Challenge que é outro trenzinho que gira sobre o próprio eixo são brinquedos que não conseguimos ir. Mas fomos salvos com a opção do Land of Adventure,um safári em um carrinho onde todos os animais são de Lego, e pelo Booting School, onde pilotamos os barquinhos.

Assim que saímos da Duplo Valley, precisava de alguma atração para entreter os mais velhos e fomos direto para The Quest For CHI, de onde eles saíram completamente encharcados.

De lá, fomos na montanha russa The Dragon, que perto das que já tínhamos ido, é bem menos radical. Passamos pelo Lost Kingdom Adventure, onde as crianças se divertiam atirando nos “inimigos”, e depois fomos na montanha russa toda de madeira que é Coastersaurus.

Deixamos a mais radical do parque por último, que é a Flying School. Foi exatamente esse circuito que segui com os mais velhos, e isso facilitou muito a logística no parque: eles mesmos já foram descartando alguns brinquedos.

Outro brinquedo que eles acharam interessante foi o Ford Driving School, já que se sentiram dirigindo o próprio carro e ainda tiraram carteira. O Kid Power Towers é bem interessante, com perfil mais radical, já que é uma espécie daqueles elevadores que despencam e eles mesmo tinham que fazer forca para se puxarem. O problema era a descida!

DICA DA MÃE VIAJANTE:

Mesmo que o parque seja apropriado para crianças a partir de 2 anos, para muitos dos brinquedos é preciso ter uma altura mínima de 0,91 cm. Como não prestei atenção nisso, cheguei na entrada deles e o João não pôde entrar, e por isso chorou demais. Para evitar esse tipo de situação, sugiro consultar isso antes. Parece óbvio, mas eu não verifiquei as informações e o parque é bem rigoroso com isso, mesmo os brinquedos sendo muito bobinhos. Portanto, se seu filho tem 2 anos porém menos de 0,84m, vai ficar restrito a muita coisa. S for este o caso, acho que não compensa se despencar de Orlando para lá.

Uma coisa não favoreceu a logística: o Market – único restaurante da Lego Land, que tem opções de comidas saudáveis – fica no início do parque, portanto para quem está longe desse lado fica complicado voltar tudo só para comer. 

Nós não fomos, mas ao lado do parque tem o parque aquático do Lego que os pequenos se divertem. Porém, ele só abre de abril a outubro, e não são todos os dias. Em algumas épocas, só no final de semana mesmo. Por isso, é preciso consultar antes o site para ver as datas de funcionamento.

Agora que você já sabe onde se divertir com a família fora de Orlando, chegou a hora de conhecer os shows e aando/?utm_source=blog&utm_medium=intralink&utm_campaign=orlando&utm_term=parque&utm_content=diversao” target=”_blank” rel=”noopener noreferrer”> vida noturna em Orlando! Tenho certeza que você vai amar nossas sugestões. Te vejo por lá!

>> Deu vontade de conhecer esse destino juntinho com a família? A Nath e a Travel Place preparam um roteiro na medida certa para vocês fazerem a viagem dos sonhos!



Comentários